Blog

Latest Posts

O poema não parou

o mundo fez-se instante de dor  o poema não parou uma mulher ganhou a sorte grande o poema não parou o homem chorou o filho morto o poema não parou aquele jovem perdeu os sonhos o poema não parou um homem resgatou o mar à morte o poema não parou os sonhos apodreceram num homem […]

amar

Há muitas formas de amar, desgraçadamente demasiadas vezes nós não parecemos conhecer nenhuma.

Compaixão

Na nossa sociedade a falta de compaixão é considerada muito inteligente. 

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.

Sobre A. Brito

Nasceu em 1966, em Castro Daire. Licenciado em Ciências da Educação, em Estudos Portugueses e Lusófonos e em Filosofia. Doutorado em Métodos de Investigação em Educação. Integra o quadro da Inspecção-Geral de Educação e Ciência.  Vive em Portugal. Tem três filhos.

Subscreve!

Recebe resenhas, aforismos e poesia diretamente na tua caixa de correio digital!